Pedro Henrique Conrade - 6º semestre AE

No início deste ano, a desenvolvedora de empresas Startup House estava enfrentando dificuldades para contratar funcionários. A percepção era a de que os jovens saíam das universidades despreparados para atuar no mercado digital. Para resolver essa questão interna, a Startup House idealizou o programa Sthart, que selecionou 100 pessoas, ofereceu uma imersão de três semanas de aprendizado sobre negócios e depois as apresentou a empresas que buscavam contratar talentos.

A primeira edição do Sthart foi realizada em parceria com a Associação Paulista das Agências Digitais (APADi) e culminou com a contratação de 32 profissionais. “Outros ainda serão contratados, é uma questão de alinhar o perfil do candidato com o da empresa”, afirma Pedro Conrade, coordenador do programa.

Na outra ponta do Sthart estavam 42 empresas digitais, como o Apontador, o Scoop e a aceleradora Wayra. A Startup House reteve sete pessoas. Agora, os participantes que não foram para nenhuma empresa podem ser contratados por outras agências e startups. Os interessados devem enviar um e-mail para lets@sthart.com.br.

O Sthart recebeu cerca de 2 mil inscrições. Foram selecionadas pessoas para quatro áreas de atuação: marketing, design, programação e negócios. Todos os inscritos estavam cursando a universidade ou tinham até dois anos de formado.

A primeira turma teve São Paulo como foco, apesar de contar com participantes de outras cidades. Agora, a Startup House que levar o programa para outras cidades do país, como Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre. “Só estamos estudando a melhor maneira de escalar o programa”, diz Conrade. “Queremos traçar um modelo presencial e à distância.”

Fonte: Revista PEGN